HomeNeurociênciaPercebendo a rotina do sono

Percebendo a rotina do sono

19 de agosto de 2022

Resenha crítica do artigo “Distúrbios do sono e a sua associação com os sintomas ansiosos e depressivos” escrito por Ariel Feitosa, Fabiane Souza, Larissa Brito, Lucia Helena Marques e Karina Borges, publicado em 2022.

Ter uma “boa noite de sono” proporciona o descanso físico mas também resulta na manutenção do equilíbrio geral do corpo, envolvendo as partes psicológica, social e biológica. Por ser um processo biológico, natural e essencial para o corpo humano, a forma que ele ocorre influencia em inúmeras facetas da vida e, como da mesma forma, é influenciado por essas mesmas facetas, podendo ter uma boa ou má ciclo durante a noite.

Como é possível ver no estudo apresentado no artigo “Distúrbios do sono e a sua associação com os sintomas ansiosos e depressivos” escrito por Ariel Feitosa, Fabiane Souza, Larissa Brito, Lucia Helena Marques e Karina Borges, publicado em 2022, o ciclo do sono se compõe por dois estados distintos, estado do REM, a sigla para o nome em inglês rapid eye movement, e NREM, non rapid eye movement. Dessa forma, como dito no texto, a interferência nesse ciclo com dois estados, afeta diretamente a vida do indivíduo e nas suas funções cerebrais.

Importante ressaltar que foi feito uma pesquisa com 76 pacientes diagnosticados com distúrbios do sono, em acompanhamento ambulatorial em um hospital universitário em São Paulo no ano de 2019, que responderam quatro questionários: HAD (escala hospitalar de depressão e ansiedade), escala de sonolência Epworth, índice de qualidade de sono Pittsburgh e o questionário clínico de Berlim. Considerando então, que não havíamos entrado na pandemia do vírus COVID 19, o que não interfere então na vida dos indivíduos questionados.

Um artigo que demonstra exatamente o que pode influenciar no ciclo do sono e como podemos perceber sintomas nos pacientes que apresentam um distúrbio ou uma probabilidade de desenvolvê-lo. Quadros com dados de magnitude da relação entre ansiedade e depressão com a qualidade do sono, apresentando como esses três fatores podem se correlacionar, levantando a importância da anamnese no tratamento dos pacientes e do estudo dessa relação.

Sintomas como desatenção, fadiga, cansaço, irritabilidade, ansiedade, dores musculares, múltiplos despertares a noite e entre outros são correspondentes à distúrbio no sono, podendo ser insônia, apneia obstrutiva, hipopneia e sonolência excessiva diurna (SED). Causados por inúmeros fatores, como dito anteriormente e no artigo, que podem influenciar na rotina do sono e na vida como um geral.

Atender um paciente que apresenta problemas recorrentes no sono, pode ter relação com sua vida social, como foi apontado no estudo feito por Ariel e outros, a camada social tem extremo domínio sob a rotina de sono, como o exemplo apresentado no texto, não se tem dados suficientes em homens com problemas durante o sono, já que por uma posição sociocultural, os homens não buscam ajuda e não correm atrás de questões de saúde tanto quanto as mulheres fazem, fazendo com que nos estudos apareça prevalência de distúrbios de sono em mulheres.

Ao tratar um paciente com distúrbio do sono, existem três passos principais no processo. O primeiro passo é a anamnese, um entendimento melhor do histórico do paciente, partindo para um exame físico, como testes de monitoramento, e por último, é realizado uma avaliação psicológica, com testes, escalas e questionários. Com o intuito de compreender melhor o paciente, seus sintomas e sua intensidade, tendo possibilidade de aparecimento de alguns possíveis diagnósticos a partir do que é mostrado nos questionários e desse estudo dos sintomas.

Dessa maneira, entendemos também que fatores como o desemprego, a situação financeira, a escolaridade, tendo relação com o acesso às informações, e entre outros fatores que se dão por questões sociais, culturais e econômicas. Bem como mostrado ao longo do artigo é preciso compreender o indivíduo como biopsicossocial para que seu tratamento seja eficaz e apropriado para sua vida, compreendendo os atravessamentos que os ocorrem para que seja possível entender as causas por trás de um distúrbio de sono. Já que, como mostrado na pesquisa, existe uma correlação entre ansiedade e depressão.

Em síntese, entende-se que é necessário mais estudos e pesquisas que abarquem diversos grupos sociais e em diversas situações para que se tenham dados diversificados e que deem possibilidade de desenvolver mais pesquisas acadêmicas. Foi compreendido também que o tratamento precoce dos distúrbios do sono tem bom resultado, já que “podem prevenir as consequências” (FEITOSA, et al, 2021), e que além das inferências dos distúrbios em relação a vida social, tem, também, em relação ao desenvolvimento de transtornos psiquiátricos e entre outros ditados no artigo.

Definindo Conceitos Importantes

Serotonina: “A serotonina (5-HT) desempenha um importante papel no sistema nervoso, com diversas funções, como a liberação de alguns hormônios, regulação do sono, temperatura corporal, apetite, humor, atividade motora e funções cognitivas” (FEIJÓ, BERTOLUCI, REIS, 2011).

Vigília: estar despertado (acordado)

Ansiedade: “incluem transtornos que compartilham características de medo e ansiedade excessivos e perturbações comportamentais relacionados” (DSM V, 2015) e “é um estado de humor (…) caracterizado por sintomas corporais de tensão física e apreensão em relação ao futuro” (BARLOW, DURAND, HOFMANN, 2020).

Depressão: “presença de humor triste, vazio ou irritável, acompanhado de alterações somáticas e cognitivas que afetam significativamente a capacidade de funcionamento do indivíduo” (DSM V, 2015).

Anamnese: permite uma síntese da situação em geral do indivíduo, é reconstituir sua história

Referências Bibliográficas

BARLOW, D; DURAND, V; HOFMANN, S. Psicopatologia: uma abordagem integrada. Trad. Silmara Batistela. 3 ed, p 551-556. Cengage Learning: São Paulo, 2020.

FEIJÓ, F. M.; BERTOLUCI, M. C.; REIS, C. Serotonina e controle hipotalâmico da fome: uma revisão. Revista da Associação Médica Brasileira [online]. v. 57, n. 1, pp. 74-77, 2011. Disponível em: < https://doi.org/10.1590/S0104-42302011000100020 >.

FEITOSA, a; et al. Distúrbios do sono e a sua associação com os sintomas ansiosos e depressivos. Curitiba: Brazilian Journal of Development. v. 8, n. 1, p. 1758-1769, 2022. Disponível em: < https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/view/42411/pdf >. 

Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais: DSM-5. Tradução: Maria Inês Corrêa Nascimento; et al. Revisão técnica: Aristides Volpato Cordioli; et al. – 5. ed. – Porto Alegre: Artmed, 2015.

Ficha Técnica

Texto da resenha: Luisa Blanc

Edição e revisão técnica: Luã Teixeira Guapyassú Câmara / Danielle Paes Branco

Comentários

0 Comentários
Feedbacks
Veja todos os comentários

Parceiros

Neurostudent
infosPharma
Aprender Educacional